Guia de Eventos de Setúbal

pessoa

“Quero contribuir para a afirmação do ensino politécnico”

Pedro Dominguinhos

setembro 2020

Pedro Dominguinhos é um dos mais antigos professores da Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal e é entre risos e com visível orgulho que afirma já fazer “parte da mobília” da instituição que iniciou atividade há 25 anos.

Em 1995, tinha terminado a licenciatura em Economia há cerca de um ano, Pedro Dominguinhos começou a trabalhar como professor do 1.º triénio na Escola Superior de Ciências Empresariais que ainda se encontrava em processo de instalação. O edifício estava em construção e é com alguma nostalgia que recorda como iniciou o percurso profissional que assinala as bodas de prata em 2020.

“Foi um período notável e desafiante. Sinto que criei um filho. Estive no início de tudo, desde a criação dos cursos, passando pelo processo de construção do edifício e de aquisição dos equipamentos, bem como pela implementação de uma cultura organizacional numa grande proximidade com os alunos.”

Desde então desempenhou várias funções, incluindo a presidência do conselho diretivo da ESCE, entre 2007 e 2009. Desde 2014, é presidente do Instituto Politécnico de Setúbal, encontrando-se a cumprir o segundo mandato até abril de 2022.

Ao fim de seis anos, Pedro Dominguinhos acredita que contribuiu para a coesão interna e para a afirmação do IPS como um motor de desenvolvimento da região.

“Hoje temos um Instituto Politécnico que se afirma muito mais. Além disso, o IPS transformou-se num parceiro reconhecido por várias instituições e está num processo de forte afirmação de reconhecimento de competência e de credibilidade.”

Um dos momentos mais difíceis para Pedro Dominguinhos, de 49 anos, traduz-se numa memória que vai guardar para sempre. “No dia 13 de março de 2020, às 23h38, assinei o despacho que suspendia as aulas no Instituto Politécnico de Setúbal. Foi a decisão mais difícil que tomámos.”

A evolução da pandemia de Covid-19 estava a ser acompanhada há algum tempo pelo instituto, que já se encontrava preparado para fazer face a qualquer eventualidade.

No entanto, a atitude proativa também marcou a diferença. Apoio psicológico gratuito, o empréstimo de uma centena de computadores a alunos carenciados, a garantia de uma refeição gratuita diária aos estudantes que se mantiveram na residência, a prorrogação do pagamento das propinas até setembro e a criação do grupo Unidos, que angariou donativos para apoiar cerca de 40 estudantes foram algumas das medidas tomadas pelo IPS tendo em conta “a grande preocupação com o bem-estar de todos”.

Num momento “completo e complexo, mas também muito gratificante”, o instituto não esqueceu a comunidade onde se insere e produziu cerca de seis mil litros de álcool gel e nove mil viseiras, em parceria com algumas empresas, para distribuir pelas instituições da região.

O próximo ano letivo já está em preparação, com a Covid-19 a continuar no centro das preocupações. O IPS adquiriu equipamentos para fazer testes de despiste e serológicos a toda a comunidade escolar e está a preparar um ano de ensino misto entre aulas presenciais e ensino à distância.

A um ano e meio de terminar o segundo mandato como presidente do IPS, Pedro Dominguinhos revela outra preocupação que gostaria de deixar resolvida, a construção de um espaço próprio para a Escola Superior de Saúde funcionar. “Continuarei a lutar para que seja possível concretizar este projeto no IPS.”