Guia de Eventos de Setúbal

bastidores

Pequenos e ativos

março 2019

Crianças do ensino primário nadam e correm em competições saudáveis nos equipamentos desportivos de Setúbal. Querem mais tempo a brincar. Fazem novos amigos e figas uns pelos outros. Bem-vindos ao Desporto nas Escolas – 1.º Ciclo

A luz do sol entra, inclinada, e ilumina as duas piscinas municipais das Palmeiras, em Setúbal. Numa delas, na mais pequena, está Raissa, a bater as pernas energicamente.

A menina de 7 anos tem os dedos das mãos enrugados da água. Olha e repete, concentrada, os gestos de Sofia Gonçalves, técnica da autarquia, que, do lado de fora da piscina, vai ensinando estilos básicos de natação ao longo dos quarenta minutos de aula, “pouco tempo”, para a maioria.

“Se acham que é pouco tempo, aproveitem-no bem”, sugere. “Querem ficar aqui até quando?” Isso nem eles sabem responder.

Raissa é brasileira, cruzou recentemente o oceano com os pais e já vai criando raízes e amizades na escola e na cidade onde vive há um ano. Aproximamo-nos, onde a água salpica por todo o lado, para perceber como correu este primeiro dia no Desporto nas Escolas – 1.º Ciclo, projeto municipal de reforço da importância da prática da atividade física.

A ideia é contribuir para a criação de estilos de vida ativos e saudáveis, independentemente da experiência e habilidade de cada criança.

Apesar de a água não estar fria, os músculos enrijecem no primeiro contacto. Para uns, a subida depois de mergulhar é ávida até à tona, outros nadam como peixe.

A aula acaba pouco antes do meio-dia, com gargalhadas, mergulhos, braçadas e agitação. A pequena Raissa não podia estar mais feliz.

Um frémito que parece não se esgotar acontece igualmente na pista do Complexo Municipal de Atletismo de Setúbal. Um amigo que empurra o outro, numa transferência de ânimo, as gargalhas do grupo que observa o desempenho do colega, as figas que se fazem pelos outros.

No lançamento do peso, ajustado ao escalão etário de cada um, o objetivo é “chegar o mais longe possível”, elucida a técnica municipal Maria Marques, fazendo-se ouvir por cima das vozes entusiasmadas das crianças.

“Não podem atirar o peso. Para ganharem impulso, têm de se posicionar no círculo de lançamento com o peso encostado ao pescoço, fazem uma rotação, esticam o braço e empurram o peso.”

Por aqui, as rivalidades são saudáveis e os tropeções também. Respeitam profundamente as ordens dos instrutores e esquecem o tiquetaque do relógio.

Noutro lado da cidade, e de mapa na mão, duas dezenas de alunos calcorreiam o Parque Urbano de Albarquel num percurso de orientação. Em cada localização encontra-se uma baliza, com picotadores, para picar o cartão de controlo, comprovando a passagem pela sinalização.

“Não existe um itinerário obrigatório. Cabe a cada atleta escolher a ordem das balizas a percorrer”, explica José Conceição, técnico da autarquia.

Enquanto uns se divertem a percorrer a rota de trilhos de orientação, outros sobem a parede de escalada do GOarrábida, equipamento municipal inaugurado no ano passado no Parque Urbano de Albarquel, de apoio à descoberta da Arrábida em particular em trail e de bicicleta.

No total, 4135 crianças, com idades entre os 6 e os 11 anos, de 33 estabelecimentos de ensino, participam no Desporto nas Escolas – 1.º Ciclo, que disponibiliza ao longo de todo o ano letivo mais de uma dezena de modalidades desportivas, em diferentes períodos, horários e locais da cidade.