Guia de Eventos de Setúbal

Os dramas humanos na mesa cirúrgica da literatura
leituras

Os dramas humanos na mesa cirúrgica da literatura

março 2020

Peter Handke ganhou o Prémio Nobel da Literatura em 2019, o que levantou um coro de protestos nos média mainstream ao serviço do pensamento dominante. Handke causou enorme controvérsia quando denunciou a política belicista da NATO que levou ao desmembramento da Jugoslávia(1) e quando fez o elogio fúnebre de Milosevic, que foi absolvido pelo Tribunal Internacional de Haia. Uma atitude corajosa que lhe valeu o ostracismo que, ao fim de muitos anos e de uma extensa e notável obra literária, o Nobel resgatou.

Em “A Angústia do Guarda-Redes Antes do Penalty”, descreve com concisão essa ansiedade: “O guarda-redes está a ver qual é o canto da baliza que atingir. Se conhece o jogador, sabe qual é o canto que, de um modo geral, ele prefere. Mas, provavelmente, o jogador que vai marcar o penalti pensa também que o jogador o está a tentar descobrir. Por isso o guarda-redes tem de admitir que precisamente hoje a bola vai entrar pelo outro canto. Mas o que é que acontece se o jogador que vai marcar o penalti seguir o pensamento do guarda-redes e acabar por decidir atirar para o canto para o qual costumava atirar?”

A angústia dos dois jogadores, a solidão das suas decisões, é uma metáfora da vida. Solidão e migração, interior e exterior estão sempre presentes na sua extensa produção literária, mais de quarenta romances, ensaios poemas, quinze peças de teatro, vários roteiros e colaborações para o cinema com Wim Wenders, “Movimento em Falso”, “As Asas do Desejo” e a adaptação de “A Angústia do Guarda-Redes Antes do Penalty”.

Os dramas existenciais são o núcleo duro do seu trabalho literário, que, com uma extrema concisão e engenhosidade linguística, os explora penetrando fundamente nas especificidades da experiência humana, o que faz com grande dureza e limpidez neste romance em que um antigo guarda-redes depois de ser despedido do emprego deambula pelo mundo que perdeu todo o sentido.

Manuel Augusto Araújo
Membro do Conselho de Redação da “Vértice” 

Texto escrito com as regras anteriores ao novo acordo ortográfico

  

(1) Sobre a Jugoslávia, para se perceber o lado oculto dessa guerra ler os livros dos majores-generais Carlos Branco, “A Guerra da Jugoslávia, Vivida na Primeira Pessoa” e “A Guerra dos Balcãs, Jihadismo, Geopolítica e Desinformação, vivências de um oficial português ao serviço da ONU”, e Raul Cunha, “Kosovo, a Incoerência de uma Independência”, que durante anos integraram o grupo de observadores para a ONU nos Balcãs.

 

Multimédia0

A Angústia do Guarda-Redes Antes do Penalty


Peter Handke
Edição: Relógio D’Água
Tradução: Maria Adélia Silva Melo
Capa: Luís Miguel Castro, sobre imagem retirada de filme de Wim Wenders baseado nesta obra de Peter Handke
1.ª edição: 1987
1.ª edição original: 1970
100 páginas